FASHION DESIGNERS | COCO CHANEL


Coco Chanel

COCO CHANEL: A ESTÍLISTA QUE REVOLUCIONOU A MODA NA DÉCADA DE 20

Falar de moda e não falar de Coco Chanel, não faz sentido, porque sem dúvida, ela marcou a história não só da moda, mas também de todas as mulheres. Num tempo onde o sexo feminino era domado por regras masculinas e cheio de limitações, Chanel não se conformou em ser mais uma a ter o mesmo destino das demais na época e correu atrás dos seus sonhos, sem se importar com a opinião alheia.
Nascida num berço de pessoas simples, uma mãe lavadeira e um pai vendedor estilo “caixeiro viajante”, Gabrielle Bonheur Chanel, nasceu num hospital na cidade de Saumur, França.
Na adolescência, Coco perdeu a mãe Jeanne Devolle, que ficou muito doente com problemas respiratórios. Após a morte da mãe, ela e a sua irmã foram colocadas num orfanato pelo pai Albert Chanel, enquanto os irmãos, foram trabalhar na agricultura.
Ao completar 18 anos, Chanel foi transferida para uma pensão de mulheres católicas.
Chanel não aceitava o seu passado pobre e sofrido, tinha muita vergonha das suas origens e tentava encobri-lo com várias histórias que muitas vezes se contradiziam.


Foi a partir de 1907 que ela começou a fazer suas primeiras apresentações no cabaré La Rotonde, em Paris, que tinha como clientes fiéis, muitos oficiais e ricaços da época. Foi nesse mesmo local, que o nome Coco ganhou vida, provavelmente por causa da música “Qui qu’a vu Coco“, que Chanel sempre cantava.
Nesse tempo, começou um relacionamento com Etienne Balsan, um socialite da região. Com isso, a modista foi morar no seu castelo, próximo a Compiégne.
O relacionamento não era oficial, e acabou por não durar muito tempo, mas a amizade entre os dois prevaleceu.
Com esse relacionamento, Chanel pode frequentar muitos lugares onde só a classe alta estava, e assim apaixonou-se por um inglês milionário chamado Arthur Capel.
Coco Chanel não se contentava em ficar no castelo, queria ser independente… trilhar a sua própria história e assim, decidiu ir para Paris com sua nova paixão, Capel.
Dessa parceria, surgiu então a sua primeira loja de chapéus. O negócio foi um sucesso e não demorou muito para ganhar as páginas das revistas de moda da época em Paris.
“O mais corajoso dos atos ainda é pensar com a própria cabeça.” Coco Chanel.
Ela teve também um papel importante na moda durante a Primeira Guerra. Com os homens em confronto, as mulheres tiveram que trabalhar e precisavam de roupas mais práticas com a nova fase.
Assim, os modelos de Chanel tornaram-se essenciais diante dessa nova realidade do mercado.
A Guerra também trouxe escassez de tecidos e com isso, Chanel aproveitou para encurtar os vestidos e chapéus, e assim, pode equilibrar a produção, lançando novos e eternos modelos.
O seu romance com Boy Capel durou dez anos, mas também não se oficializou, porém os dois continuaram juntos, mesmo com o amado tendo-se casado com outra mulher.
Apesar da nossa musa da moda gostar de estar acompanhada, não era apegada a casamento, a sua prioridade era a carreira, e o trabalho. Mas o fim desse romace terminou com a morte de Boy, num acidente de carro em 1919.
Chanel ficou muito abatida com a sua morte, mas rapidamente deixou o luto de lado e foi á luta abrindo uma casa de costura. Ali, começou as suas vendas de roupas no estilo desportivo, como trajes de praia e roupas para montar a cavalo.
Coco foi uma das primeiras mulheres a usar calças.
“A força consegue-se com os fracassos e não com os sucessos.” Frase de Chanel. 

Coco Chanel

Após um tempo, um novo amor alcançou o coração da estilista. Era um jovem russo, Dimitri Pavlovick. Desse romance, Coco teve outras inspirações para acrescentar nos seus modelos.
O conhecimento do folclore russo, serviu de inspiração para o desenvolvimento de roupas com bordados, fato que a levou a ter de contratar muitas bordadeiras.
Nessa época, a musa ampliou o seu leque de amizades e conheceu muitas pessoas importantes, como os artistas Pablo Picasso e Greta Garbo.
Como já era de se esperar, após tanta ideia nova, os seus looks chegaram até as celebridades de Hollywood e assim, o seu estilo passou a dominar a moda do mundo inteiro.
Coco Chanel não inventou os teilleurs, porém, foi ela que os popularizou e por ter sido tão marcante o uso dessas peças por ela, muitos pensam que foi de sua invenção.

CHEGA OS ANOS 20 E COM ELE…
Chanel cria o produto mais marcante da sua história, o perfume Chanel n° 5, que recebeu esse nome por ser a quinta fragrância apresentada a ela e por ser o 5 o seu número da sorte, e de fato foi.

O perfume foi um completo sucesso e é um dos mais vendidos no mundo até hoje.
Para divulgar as fragrâncias, distribuiu entre as suas amigas que se ENCANTARAM com o cheiro e tornaram-se clientes, comprando mais e espalhando a novidade. Coco Chanel, marcou a história tornando-se a primeira estilista a lançar um perfume com o seu próprio nome. Entre todas essas histórias incríveis, está a de Marilyn Monroe que era fã da marca, e ao ser perguntada sobre a roupa que usava para dormir, disse a seguinte frase: Uso apenas três gotinhas de Chanel n°5.
Após essa fala, as vendas do perfume dispararam.
Outro marco da estilista, foi o preto básico, que acabou por tornar-se símbolo de elegância, sendo até hoje, considerado indispensável. Antes de Chanel, o look preto, era associado ao luto.
Outro detalhe importante, foi o bolso, que ela amava acrescentar nas peças. Coco reinventava-se a todo o minuto, aproveitando as roupas do Boy, para desenvolver novos estilos como a popularização do famoso teilleur.
Chanel tinha um jeito único de fazer moda, que não era apenas nas roupas que deixava sua personalidade.
Nos cabelos, adotou o corte na nuca, que até hoje tem o seu nome, o famoso e tão desejado corte Chanel. Nos acessórios, ousou usar bijuterias nos locais frequentados pela alta classe.
Também, desenvolveu os modelos de sapatos de duas cores e abertos no calcanhar.
Símbolo da mulher livre:
Foi uma completa revolucionária da moda. era sinônimo de liberdade.
Lançou o uso dos cardigans, calças femininas e vestidos mais soltos e curtos, com um estilo mais funcional e agradável. Outra moda de Chanel, foi a libertação das camisas brancas, que antes eram usadas apenas por baixo das roupas.
Passou a ser chamada de Mademoiselle, nome francês que significa mulher respeitosa, de boa conduta e prendada.
De temperamento forte, era determinada e dona de si. Considerada uma pessoa difícil, mas muito empreendedora e á frente do seu tempo.

Coco Chanel

A CHANEL NA 2ª GRANDE GUERRA:

s anos 40 chegaram com a Segunda Guerra. Com isso, Gabrielle teve que fechar a loja, mas não quis sair do seu país.
Nesse período de conflitos a França foi ocupada pela Alemanha, e ela acabou por se envolver com um homem da inteligência militar Alemã. Este envolvimento trouxe alguns problemas a Chanel, que foi acusada de colaborar com os nazis.
Chanel só reabriu o seu atelier em 1954, mas os franceses ignoraram-na por considerarem o seu envolvimento com o alemão, suspeito. Assim, Chanel começou a enfrentar uma crise financeira e para não fechar a casa, decidiu vender as suas roupas para outros países. Como a sua reputação estava queimada por conta do envolvimento com os nazis, foi morar para a Suíça.
Coco era admirada pela ex primeira dama Jackie Kennedy, e conseguiu voltar às revistas de moda com alguns dos seus modelos. Depois de algum tempo, voltou para França, e passou a morar no Hotel Ritz Paris, e continuou com o seu trabalho até á velhice.
Em 10 de janeiro de 1971, aos 87 anos, Coco Chanel encerra a sua missão aqui na Terra, mas eterniza-se por todas as décadas seguintes.
Após a sua morte, foram encontrados desenhos para uma nova coleção na sua casa.
Até hoje, 49 anos após a sua partida, a marca Coco Chanel é uma das mais valiosas do planeta.
www.chanel.com


SELECTED LIFESTYLE BRANDS


BMW
BMW
MINI
Mobirise

FACEBOOK

INSTAGRAM

YOU TUBE

© Copyright 2020 THE FASHION RADIO - All Rights Reserved | Sob Licença S.P.A | Registada na E.R.C.

The web page was built with Mobirise